Constelações Familiares: O que diz o Espiritismo

Marcado: , , , ,

Você já parou para pensar o quanto as questões familiares interferem na vida? Esse grupo de pessoas em geral ligadas por laços de parentesco representa um papel muito importante e afeta nossas crenças e padrões de comportamento mais do que imaginamos.

A partir dessas observações a respeito dos padrões dos grupos familiares através de suas gerações que se refletem na forma de pensar e viver de seus membros, trazendo muitas vezes, dificuldades e sofrimentos, o psicoterapeuta alemão Bert Hellinger desenvolveu o método psicoterapêutico chamado de constelação familiar ou constelação sistêmica. De acordo com essa abordagem existem repetições de comportamentos ao longo das gerações, mesmo que ocorra de forma inconsciente.

Para a psicóloga facilitadora em constelação familiar, Del Mar Franco, a constelação busca incluir todos os excluídos, procurando uma ordem dentro do sistema e permitindo nessa dinâmica que o amor possa fluir, trazendo paz e harmonia.

 

As Ordens do amor

Como Bert Hellinger explica as ordens do amor dentro das constelações familiares. Del Mar explica: “Bert Hellinger chama as ordens do amor, ele diz que em todas as famílias nós encontramos três dinâmicas familiares. A primeira delas é a questão do pertencimento, ao observar aquelas pessoas esquecidas e negadas, a constelação busca incluir todos os excluídos igualmente nesse sistema.

A segunda ordem que Bert nos traz é a hierarquia e o papel da constelação é colocar a pessoa no seu lugar, ocupando o espaço que é dela.

A terceira ordem do amor é o dar e receber. Respeitar as escolhas faz parte dessa dinâmica onde a constelação procura fazer com que a pessoa possa encontrar o seu lugar no grupo, trazendo a tona o sentimento de gratidão, permitindo assim que a vida flua”.

Acrescenta ainda Del Mar que a constelação revela informações que estão no inconsciente. “Os resultados são sentidos na parte material, espiritual e social”, diz.

Apesar do método terapêutico da constelação familiar desenvolvido por Bert Hellinger não estar associado a nenhuma religião ou crença específica e se basear na ciência fenomenológica, o que diz o espiritismo sobre os laços familiares e as conexões físicas e espirituais que merecem ser tratadas também como fonte de aprendizado e reflexão.

Sobre parentesco corporal e espiritual explica Allan Kardec no capítulo 14 de O Evangelho Segundo o Espiritismo: “Os Espíritos que encarnam numa mesma família, sobretudo como parentes próximos, são os mais frequentemente Espíritos simpáticos, ligados por relações anteriores, que se traduzem pela afeição durante a vida terrena. Mas pode ainda acontecer que esses Espíritos sejam completamente estranhos uns para os outros, separados por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem também por seu antagonismo na Terra, a fim de lhes servir de prova”.

Destaca o espírito Joanna de Ângelis pela psicografia do médium Divaldo Franco no livro Constelações Familiares o valor e a importância da família pelos laços corporais e espirituais como um dos principais fatores para evitar-se a desagregação da sociedade.

Sendo a família um lugar de reencontro entre afetos e desafetos, no convívio familiar enfrentamos muitos desafios e problemas que precisam ser sanados, cabendo a cada membro da família se empenhar para que juntos possam crescer na vivência do amor, se transformando em uma grande família espiritual.

Sugestões de pesquisa o que diz o espiritismo

Livro Constelação Familiar – Divaldo Franco

DVD – Série espiritismo e bem estar – O Homem e a Família

 

 

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

5 Comments

  1. Cristina Andes Farine

    Excelente elucidação a respeito e merece muita atenção por todos.
    Parabéns por ter nos trazido assunto muito interessante.

  2. Marilene Canto

    A técnica da constelação sistêmica tornou-se ótimo recurso para a dissolução de entraves e conflitos. A técnica trás a tona processos ocultos que propiciam a transformação de comportamentos prejudiciais. A partir da Constelação, o foco de visão é com base no amor, respeito, inclusão. Sabe-se que o olhar de amor, sem julgamentos para a situação, muda a situação.

  3. RODOLFO TEIXEIRA

    As constelações familiares mudou a minha vida e reconciliou toda minha família. Algo muito marcante nas constelações é que TODOS, sem exceção, tem o direito de pertencer, portanto basicamente a constelação é um trabalho de inclusão. Sempre muito lindo.
    Gosto da aplicabilidade dessa técnica, que pode ser feita em grupo, individual com bonecos e até on-line. Hoje eu sou constelador e estou trabalhando com esta última forma, on-line, e muito feliz de poder proporcionar a mais gente o benefício de constelar. Fico feliz que isso esteja crescendo a cada dia e chegando a mais gente. Tão simples e tão transformadora!
    Apesar da Constelação não ser “espiritual” no sentido de receber espíritos ou coisa do tipo (apesar de dar essa impressão), vejo um grande alinhamento com essa doutrina, sempre inclusiva e amorosa.

    Forte abraço à todos. Tudo de bom!

  4. Luciana Rosa

    Amigos, uma dúvida: sob os conhecimentos da Doutrina Espírita em que Lei Divina se encaixa o papel de um descendente assumir a atitude e/ou comportamento ( perfil) de um antecessor ? Ainda não entendi este processo. Gratidão pelo esclarecimento.

  5. Naudemar Nascimento

    Luciana rosa, pouco sei sobre Constelação Familiar, mas penso que a relação está em entender que sob o ponto de vista espírita as semelhanças de comportamento entre as gerações anteriores e a atual se deve antes de tudo pela simpatia existente entre os Espíritos que constituem a família. Por outro lado, em algumas situações os componentes da família de hoje são os mesmo das gerações anteriores. É o que penso.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado e nem divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com o asterisco (*).