A Missão de Ser Mãe Segundo o Espiritismo

Marcado: , , , , ,

mãe

Embora as mães devam ser lembradas  todos os dias, é no segundo domingo de maio que elas são homenageadas no Brasil.

Se tornar mãe é o sonho de muitas mulheres, para outras a gravidez pode acontecer de uma maneira inesperada. O fato é que ser mãe muda a vida de uma mulher, desde a gestação, passando pelo nascimento, desenvolvimento e criação de um filho.

Mas do ponto de vista espiritual o que significa ser mãe? A Doutrina Espírita esclarece que se trata de um compromisso importante, porque ao gerar um filho assumi-se um compromisso perante as Leis de Deus, oferecendo oportunidade para que um espírito por meio da reencarnação possa evoluir, cabendo aos pais o amparo necessário para sua caminhada de  novos aprendizados.

A pergunta 890 de O Livro dos Espíritos esclarece que o amor maternal é uma virtude ou um sentimento instintivo, comum aos homens e aos animais: “— É uma coisa e outra. A Natureza deu à mãe o amor pelos filhos, no interesse de sua conservação; mas, no animal, esse amor é limitado às necessidades materiais: cessa quando os cuidados se tornam inúteis. No homem, ele persiste por toda vida e comporta um devotamento e uma abnegação que constituem virtudes; sobrevive mesmo à própria morte, acompanhando o filho além da tumba. Vedes que há nele alguma coisa mais do que no animal”.

Compreende-se que existe além dos laços físicos, um elo poderoso de ligação entre mães e filhos, por esse motivo o amor materno é realmente capaz de ultrapassar barreiras.

Ser mãe representa a possibilidade do exercício do amor incondicional, doando o melhor de si para a evolução de um espírito que nasce no papel de filho, seja ele um amigo do passado ou alguém que necessite de reconciliação, como oportunidade de reconstruírem uma nova história.

Para se aprofundar mais no tema, vale à pena ler a transcrição de uma palestra sobre o tema no site Espirito. org

Para refletir melhor sobre a missão de ser mãe, sugerimos livros,  CDS e DVDs

Mundo Paralelo – A trajetória de uma mãe

Um livro sem cunho científico, mas capaz de abrir horizontes a pais, educadores, profissionais de saúde e leitores na busca de forças para superar obstáculos.

As Mães de Chico Xavier (DVD)

Seus destinos mudam drasticamente de uma hora para outra e as três mulheres, que vivem experiências fortes e distintas, encontrarão o conforto através de Chico Xavier.

JESUS MODELO E GUIA DA FAMÍLIA
Este trabalho apresenta método para tornar Jesus o modelo para as ações familiares, de forma que tenhamos uma família mais harmoniosa e que vive os valores cristãos nas relações conjugal, maternal, paternal, fraternal e filial.

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

15 Comments

  1. Alexandre

    Desde pequeno, lembro-me que minha mãe fazia diferenças entre eu e meu irmão mais velho (4 anos mais que eu) em todas as situações. Isso ocorre até os dias atuais.
    Posso ter cometido erros em épocas passadas, e acredito que a maioria dos reencarnados estão aqui pela dor e poucos pelo amor. De qualquer forma, acredito que amor de mãe é incondicional. aos 50 anos de idade (hoje tenho 64) perguntei a ela, porque havia essas diferenças…. Ela respondeu-me que em qualquer situação, meu irmão teria sempre a razão, por ser mais velho que eu.
    Tive vários problemas com meu irmão, quanto à sua negligência que veio a prejudicar seriamente minha família. Entendo que pode ser um resgate de outras épocas….
    O que não entendo é que se amor de mãe é incondicional, porque essas desavenças ocorrem, em função de tais preferências, mesmo eu tentando esquecer problemas passados como mencionei, tentando esquecer os problemas que enfrentei e perdoando para ser perdoado. Não quero dizer aqui ser um “santo”.
    Se o fosse, nem mais aqui estaria, neste planeta de provas. A pergunta é: O que ocorre com minha mãe, já que diz acreditar piamente na doutrina de Kardec?

  2. Reginalda

    Gostei muito do blog,muito informativo.

  3. SOLANGE APARECIDA PANSIERI

    MEU FILHO SUICIDOU SE HA 1 ANO E MEIO ,TINHA 31 ANOS E DEIXOU 2 FILHOS.ERA UMA PESSOA MUITO BOA MAS FOI DEVORADO PELAS DROGAS.GOSTARIA MUITO DE SABER DELE.PRECISO.ME AJUDEM

  4. silvana

    uma vez fui em um centro epirita e o medium passando de pessoa em pessoa perguntando a cada uma se estava bem, quando chegou na minha vez eu respondi que tinha dores nos joelhos, ele me perguntou se eu tinha filhos eu respondi que não então ele fez uma oração e foi para a proxima pessoa.
    mas não entendi sobre a pergunta que ele me fez, sera que alguem saberia me responder ???? agradeço.

  5. scheila

    Eu quero ser mãe
    mas tive 2 abortos.
    O q pensar disso
    sofro muito

  6. Malu souza

    Sei que a adoção é uma maneira de resgatar e consertar erros do passado. Mas é muito difícil ser adotada por uma mulher que não sei até hoje porque concordou com a adoção e só me fez sofrer a vida inteira. A diferença que Eça fez e faz até hoje entre eu a sua filha de sangue é escancarada. Infelizmente tenho conhecimento que teremos que resolver bas próximas encarnações. Não tenho ódio nem mágoas.. Mas queria do fundo do coração não ter que encontrar ou conviver com este ser humano .

  7. Mônica Soraya

    Perdi minha mãe a 8 anos e até hoje sinto um grande vazio tenho pai e noivo maravilhoso mais sinto muita saudade da minha mae. Tudo que faço me sinto só não sei exolocar. Mais as vezes acho que quem está ao meu lado possa ficar triste e isso não quero.

  8. Mônica Soraya

    Perdi minha mãe a 8 anos e até hoje sinto um grande vazio tenho pai e noivo maravilhoso mais sinto muita saudade da minha mãe. Tudo que faço me sinto só não sei explicar. Mais as vezes acho que quem está ao meu lado possa ficar triste e isso não quero

  9. Flavia ana

    Tenho 3 filhos, me dou muito bem com a mais velha, e sinto uma extrema conexao com meu menino que é o caçula, quanto a menina do meio, tenho um amor excepcional, mas estamos sempre brigando, tento me controlar, as vezes ate mesmo oro a Deus pedindo paciencia para lidar com ela, como resolver uma situacao dessas se for algo de vidas passadas?

  10. Verônica

    Perdi meu filho lindo de 26 anos de idade, vítima de um assalto. Porque uma mãe tem que perder o seu filho? Qual a explicação pra isso? É uma dor insuportável! Tínhamos uma família linda! Éramos muito amigos ! Ele é os dois irmãos se davam super bem! Éramos felizes de vdd! Porque isso aconteceu? Porque tive que passar pela maior dor humana? Sempre procurei ser uma boa mãe, passar o que era certo , fazer dos meus filhos homens de bem! E consegui! Mas meu filho mais velho tão responsável e de um caráter incrível, foi arrancado dos meus braços por um marginal sem piedade! Porquê?

  11. Maria

    “Jesus o modelo para as ações familiares” é interessante essa afirmação uma vez que a história nos relata um Jesus sem família, sem herdeiros, sem esposa, que em algum momento ele mesmo pergunta: quem é minha mãe, meus irmãos,…? Por que a história contradiz?

  12. Marineide dias

    Quero deixar uma pergunta? Que poderia acarretar na vida de um ser…que foi excumulgado pela sua propria mae.visao espirita sobre o tema? Mae eh ou nao eh sinonimo de amor…E que ame seu filho seja ele bom ou mal.

  13. Margarete Paula

    Os filhos que temos são compromissos assumidos antes da nossa reencarnação? Quantos filhos teremos ? isso já é determinado antes de nascermos?se sendo pode haver mudança , por parte da espiritualidade,na concretização dos compromissos que assumimos anteriormente?

  14. Maristela Kristin

    Minha filha , Eloah Kristin.

    Eu engravidei aos 17 anos , de um rapaz que na época era apenas meu namorado; com a gravidez acabamos nos casando e construímos uma família. Porém, não sei o pq, as coisas mudaram completamente em nossas vidas; eu e ele éramos firmes na fé cristã , freenquentavamos uma igreja evangélica, mas depois que fui morar com ele e nos casamos , nossa fé esfriou. Deixamos de ser um casal apaixonados , e nos tornamos um casal que deixava claro pra todos a falta de amor em nosso casamento, oq nos unia era apenas nossa filha Eloah.

    Gestação: Eu não esperava, mas aceitei. Tive que mudar completamente minha vida e meus hábitos . Meu pai me expulsou de casa , então tive que me mudar de bairro, escola etc. Eu cantava tanto pra ela, enquanto acariciava minha barriga, eu jurava que nunca iria deixa-la por nada , que faria de tudo pra ser a melhor mãe que alguém poderia ter.
    Quando ela nasceu não consegui amamenta-la e , quando consegui, meu leite secou. Com os mil e um problemas que eu tive com o pai dela , acabei me tornando uma jovem fria e racanrosa , amargurada com a vida. Inúmeras foram as vezes que minha filha me abraçou e me pedia pra não chorar , que ela me amava e ficaria tudo bem! Sério, ela tinha 2 anos ou menos , e já entendia tudo. Ela sempre foi o motivo de eu nunca desistir da vida e dos meus sonhos, é por ela que eu ainda tenho força pra lutar!.
    Quando tudo se tornou insuportável, eu me separei do pai dela. Eu não aguentava mais tantas brigas , tantas agressões , tanto sofrimento… e pior, com a minha filhinha assistindo tudo aquilo… voltei pra casa da minha mãe e ela me recebeu com amor. Uma casa simples, um bairro simples, um nível bem diferente de vida que estava acostumada a viver com ela na casa do pai dela… foi uma difícil adaptação. Tive que procurar emprego, aliás, agora eu teria que construir uma vida independe e cuidar da minha filha sozinha; mas nada aconteceu como eu queria que tivesse acontecido. Não arrumei um emprego fixo, usava a pensão da pequena pra ter q ajudar com as contas de casa, comida e ainda tinha que fazer o dinheiro render pra comprar as coisas pra ela. Inúmeras vezes tive que escutar o pai dela me menosprezando , dizendo q eu n cuidava bem da minha filha, enquanto eu perdia noites de sono pensando no que eu poderia fazer… Tive que largar o meu curso Técnico , pois não havia mais dinheiro para as mensalidades, enfim… estava tudo muito difícil. Mas, todos os dias minha filha me trazia uma florzinha da escola, dizia que ” Elas me lembram a vc, mamãe”. Dormiamos num colchão duro de solteiro , bem apertadinhas. Adorava assistir o sono dela, parecia um anjo dormindo…
    Um dia quando o pai dela voltou com as ofenças e humilhações, eu ofereci a ele a minha responsabilidade de mãe com a Guarda da menina, e ele aceitou. Meu coração exitou inúmeras vezes , mas meu cérebro sempre dizia ” Vai ser o melhor pra vcs duas. Vc vai poder correr atrás de seus sonhos, custe oq custar, enquanto ela vai estar vivendo bem com o pai. Ele tem condições de dar a ela tudo oq vc n ta podendo dar , até estabilidade emocional”… e ela se foi… e foi feliz.
    Ainda não arrumei emprego, mas consegui bolsa em uma faculdade. A vejo aos finais de semana e sei lá, ela ta sempre tão bem e feliz com a vida. Nunca vejo minha filha triste, n sei se ela esconde ou se realmente nunca está triste. O pai dela amadureceu muito, arrumou outra pessoa e parece que se tornou um homem de valores. A moça era minha amiga na infância e adora minha filha, é separada e tbm tem um filho, de 4 anos. …e minha filha a adora. Eu sinto que fiz a escolha certa, mas pq sofro tanto?
    Embora eu saiba q estou fazendo de tudo pra conseguir estabilizar minha vida e a trazer de volta, pq sofro tanto? há dois anos que não consigo dormir direito, há dois anos que choro quase todos os dias de saudades da minha filha, saudades de ser mãe. Fico com aquele sentimento de ” Você não está fazendo as coisas certas”, mas eu estou dando o máximo de mim em tudo, até nessa decisão de deixa-la na guarda do pai.
    Semana passada ela me disse ” Você é a melhor mãe do mundo inteiro, eu te amo”… pensei : ” Como posso ser a melhor mãe do mundo se eu si quer consigo cuidar de ti no dia-a-dia?”.
    Tento estudar , procurar emprego/estágio e me apegar na fé espirita…Tento enxergar tudo com a visão de uma espírita, e só isso me acalma um pouco. Não sei exatamente qual é o meu papel na vida de minha filha, mas com certeza o papel dela na minha vida foi a de fazer eu despertar para o amor e para oq realmente tem valor na vida. Família é a base de tudo.
    Caridade , fé, amor e família… sem isso, impossível sermos felizes.

Trackbacks & Pingbacks

  1. Mães: amor e superação – Espírita Pensante

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado e nem divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com o asterisco (*).